A PHP Error was encountered

Severity: Notice

Message: Only variable references should be returned by reference

Filename: core/Common.php

Line Number: 257

Dor de cabeça, combater e medicamentos para enxaqueca

Espaço Saúde

Dor de cabeça: ninguém merece!

Espaço Saúde

Pelo menos uma vez na vida toda as pessoas vão sentir uma dor de cabeça – mais especificamente a chamada cefaleia. Motivos não faltam para isso: vão desde o stress diário até às alterações hormonais. Mas há uma boa notícia: a grande maioria das dores de cabeça é passageira e resolvida com o auxílio de medidas simples.

É preciso evitar o uso excessivo de analgésicos, já que muitas dores passam rapidamente. O uso abusivo pode tornar a cefaleia mais intensa e mais frequente – em termos médicos, pode levar a uma dor crónica. Mesmo neste caso o tratamento começa com a interrupção do uso excessivo de remédios, com o auxílio do médico. As dores de cabeça são classificadas em primárias e secundárias.

Dores primárias

Não estão relacionadas com uma doença, nem têm causa definida. As mais comuns são a cefaleia tensional e a enxaqueca.

Cefaleia tensional

  • Provoca uma sensação de aperto na cabeça, como se ali houvesse um capacete. De intensidade leve a moderada, não impede as actividades diárias e melhora com a ajuda de medicamentos e a prática de actividades físicas. Pode ser desencadeada por stress, factores psicológicos ou comportamentos errados, como tomar café em excesso.
Enxaqueca
  • Doença crónica muitas vezes confundida com dor de cabeça, a enxaqueca é ocasional e, por isso mesmo, muitas vezes acaba por não ser tratada. Costuma provocar dor unilateral e latejante e é acompanhada de náuseas, vómitos, intolerância à luz, ao barulho e odores fortes. Qualquer estímulo externo, como andar ou escutar buzinas, pode ser um tormento.

Pode ser causada por:

  • alterações hormonais e de neuro-transmissores;
  • excesso de exposição ao sol;
  • sono prolongado;
  • alimentos como queijo, chocolate e cafeína;
  • odores fortes;
  • consumo de bebidas alcoólicas.

Dores secundárias

Podem estar relacionadas com outras doenças, como a meningite, hipertensão, tumores e inflamações. A dor é muito intensa, constante e vem acompanhada de outros sintomas, como a rigidez na nuca, dificuldades para falar, fraqueza ou alterações na sensibilidade dos braços, pernas ou face.

Prevenção e tratamento

Na maioria dos casos, o tratamento pode ser feito com analgésicos, anti-inflamatórios e medicamentos específicos para a dor de cabeça. No entanto deve-se ter cuidado com o exagero. Frequentemente, as pessoas cometem o erro de tomar o medicamento quando começa a crise e esperam um efeito imediato, o que nem sempre é possível. É nesta fase que os pacientes aumentam a dose por conta própria, podendo causar danos à sua saúde.

No caso da enxaqueca, o tratamento é realizado em duas etapas. Primeiro é preciso combater as crises com medicamentos de efeito rápido. Depois, é a vez de prevenir, também com remédios, a partir de uma análise clínica do paciente para identificar o que é mais adequado para cada caso específico.

A partir do momento em que as causas da dor de cabeça são identificadas, é possível preveni-la e tratá-la. No entanto, se a dor se tornar crónica, o melhor é procurar um especialista para que o problema não comprometa a sua qualidade de vida.